O sexo anal ainda tem uma carga simbólica negativa na sociedade brasileira e já foi associada a identidades sexuais.

Por isso, faz parte de muitos tabus e permeia fantasias. Aos poucos vai sendo desmistificada com informações e mais aceitação de práticas sexuais consideradas fora do padrão.

Fazer sexo anal dói?

Essa é uma das perguntas mais comuns. A região do ânus é cheia de músculos e o esfíncter fica contraído a maior parte do tempo. Porém, tem grande capacidade de expansão e abertura.

O sexo anal feito da maneira correta, com os estímulos certos e produtos específicos não dói.

O nível de excitação deve ser alto e as preliminares são fundamentais para não causar dor e machucados.

Usar plug anal para expandir aos poucos a musculatura do ânus, massagear com os dedos e usar produtos anestesiantes e que lubrificam podem ajudar no processo.

É possível ter prazer?

Sim, a região é cheia de receptores de sensibilidade em homens e mulheres. Já no homem, ela dá acesso a próstata, uma região prazerosa e causa orgasmos intensos se estimulado da forma correta.

É seguro?

Se usar camisinha, sim. Se for passar para o sexo vaginal, o indicado é trocar a camisinha para não passar bactérias do ânus para a região.

Além do preservativo, é importante usar lubrificantes para que o material não cause atritos dentro do ânus e por consequência uma ferida.

Sexo anal é mais contagioso?

Segundo o CDC (Centers for Disease Control and Prevention), o sexo anal é de alto risco para contrair DST’s (doenças sexualmente transmissíveis) e IST’s (infecções sexualmente transmissíveis) em comparação com os outros tipos.

No receptivo, as chances de contrair HIV aumentam em 13 vezes. Por isso, a camisinha é essencial. Os lubrificantes mais indicados são a base de água por não reagir com o látex e correr risco de estourar e criar rasgos.

É comum sentir mal depois?

Como o sexo anal é um assunto tabu, é comum que ocorra constrangimento e sentimentos negativos, principalmente, se houver repressão quanto ao ato.

Dificuldades emocionais devem ser trabalhados e deve haver abertura para conversas. Já o lado físico, não é comum ocorrer dor, tonturas e enjoos depois do sexo.

Corro o risco de defecar?

Existem uma série de cuidados antes de tentar fazer sexo anal para evitar acidentes com fezes. Por exemplo, fazer uma limpeza (chuca). Sem esse procedimento, os riscos são grandes de ter o prazer interrompido.

O que é chuca?

A chuca (gíria da comunidade LGBTQ+) é também conhecido como chuveirinho. Atualmente, existem alguns apetrechos e produtos que ajudam a fazer a lavagem.

É uma higienização da parte externa e interna do ânus para retirar resíduos de fezes. A água deve fluir e descer com os excrementos até que saia limpa.

Usar produtos ajuda?

Lubrificantes são essenciais. Ele ajudará a inserir o pênis ou prótese sem machucar. Por exemplo, o facilit da empresa Soft Love é um gel facilitador do sexo anal. Além de lubrificar, excita e contrai.

Confira a linha Facilit no site da Litoral Moda Íntima e aproveite os melhores preços do mercado, com entregas discretas, comodidade e formas de pagamento facilitadas.